3.31.2014

Modulo 5 O liberalismo - ideologia e revolução, modelos e práticas nos séculos XVIII e XIX., unidade 5



O LEGADO DO LIBERALISMO NA PRIMEIRA METADE DO                                                 SÉCULO XIX

A Morte de Sardanapalo

                                             Conceitos:

Liberalismo Econômico:
Conjunto de princípios que regulou a gestão da vida econômica nos regimes liberais. Inspirado na ideia iluminista da ordem natural e respeitando como corolário máximo faz repousar o bem-estar econômico da sociedade nos princípios da livre iniciativa privada, exercida em livre concorrência, prescrevendo toda e qualquer intervenção do Estado em matéria econômica

Romantismo:
Movimento cultural que se difundiu na Europa e na América entre finais do século XVII e meados do século XIX.  Contrapõe-se ao neoclassicismo e exalta o individualismo, a subjetividade, a imaginação e os sentimentos 

Época Contemporânea:
Último período da evolução da história, aquele em que se estabeleceram os padrões culturais e civilizacionais do mundo atual. 


Modulo 5 O liberalismo - ideologia e revolução, modelos e práticas nos séculos XVIII e XIX., unidade 5



O LEGADO DO LIBERALISMO NA PRIMEIRA METADE DO                                              SÉCULO XIX


Modulo 5 O liberalismo - ideologia e revolução, modelos e práticas nos séculos XVIII e XIX., unidade 4



    A IMPLANTAÇÃO DO LIBERALISMO EM PORTUGAL


 Conceitos:


Jacobinismo:
Nome atribuído ao ideário político dos membros do Clube Jacobino que, durante a revolução francesa, se caracterizaram por uma atitude revolucionária, radical e anti-religiosa. Nesta época, em Portugal, o termo designava, pejorativamente, todos os simpatizantes do liberalismo

Vintismo:
Nome atribuído à ideologia liberal e à facção política defendida pelos revolucionários de 1820. Foi apelidada de radical pelas outras facções liberais existentes, por restringir os direitos do Rei e suprimir os privilégios da nobreza e clero tradicionais

Cartismo:
Designação que se atribui ao liberalismo moderado, em Portugal, o qual, na sua generalidade, segue os princípios ideológicos patentes na Carta Constitucional de 1826. O termo generalizou-se após a Revolução Setembrismo que defendia o regresso ao ideário democrático e progressista da Constituição de 1822

Setembrismo:
Facção mais democrática e popular do liberalismo português, inspirada no vintismo. Surgiu com a Revolução de Setembro de 1836 , golpe de Estado parlamentar que se opôe a um certo conservadorismo do regime cartista instalado em 1834.

Cabralismo:
Nome atribuido à política desenvolvida por Costa Cabral nos seus dois governos: de 1842 a 1846 e de 1849 a 1851. A poiado pela nova aristocracia liberal dos barões e viscondes, o seu projeto político visava o progresso do país pelo desenvolvimento das obras públicas e modernização da administração

Modulo 5 O liberalismo - ideologia e revolução, modelos e práticas nos séculos XVIII e XIX., unidade 4




     A IMPLANTAÇÃO DO LIBERALISMO EM PORTUGAL



Modulo 5, Unidade 3





Modulo 5 O liberalismo - ideologia e revolução, modelos e práticas nos séculos XVIII e XIX., Unidade 2- A revolução Francesa-paradigma das revoluções liberais burguesas.




A REVOLUÇÃO FRANCESA-PARADIGMA DAS REVOLUÇÕES LIBERAIS BURGUESAS




Conceitos:

Fisiocratismo:
Doutrina económica de cariz iluminista que considera a terra como única foste de riqueza e a agricultura como a actividade fundamental, defende o direito individual à propriedade e à livre iniciativa; propõe a abolição de todos os entrares à livre circulação dos produtos e condena a interferência do Estado na vida económica. Esta doutrina desenvolveu-se XVIII e foi teorizada por filósofos e economistas como Adam Smith, François Quesnay e Gournay

Terceiro Estado:
Expressão utilizada nos finais do século XVIII para designar a população não privilegiada.
Encabeçado pela burguesia, que o representava nas Cortes, o Terceiro Estado incluía todos os estratos e profissões populares, possuindo, por isso, o significado de "povo comum"

Assembleia dos notáveis:
Órgão político de carácter consultivo e deliberativo, constituído pelos representantes das três ordens sociais.
Teve a sua origem nas Cortes medievais e foi o mais alto órgão politico até ao século XVII. Com a ascensão do absolutismo , perdeu a sua força, não resumindo, em França, desde 1614

Monarquia Constitucional:
Forma de monarquia em que o rei detém apenas uma parcela do poder soberano, estando os restantes poderes divididos por uma Assembleia ou Parlamento e pelos Tribunais. Assenta nos princípios da soberania da Nação e na separação de poderes, e reconhece a superioridade da lei, patente numa Constituição

Soberania Nacional (da Nação):
Conceito-base da democracia que faz repousar o poder maior de um Estado na vontade da maioria da sua população

Sufrágio Censitário:
Tipo de votação que apenas admite como votantes os cidadãos que paguem  o censo, imposto devido pela posse de uma terra ou de uma terra ou de um contrato de usufrutuário

Terror:
Etapa da Revolução Francesa que coincidiu com o governo da Convenção Montanhesa, isto é, de Junho de 1793 a Julho de 1794.
Foi o período do mais sagrento da Revolução, marcado pela repressão social, por violentas perseguições políticas , prisões e execuções em massa

Estado Laico:
Estado onde o poder político se reconhece como não religioso e mantém uma atitude de isenção e neutralidade face às religião



Modulo 5 O liberalismo - ideologia e revolução , modelos e práticas nos séculos XVIII e XIX., Unidade 2- A revolução Francesa-paradigma das revoluções liberais burguesas





A REVOLUÇÃO FRANCESA-PARADIGMA DAS REVOLUÇÕES LIBERAIS BURGUESAS








Modulo 5, O liberalismo-ideologia e revolução, modelos e práticas nos séculos XVIII e XIX., Unidade 1- A revolução Americana: uma revolução fundadora. CONCEITOS




A REVOLUÇÃO AMERICANA:
UMA REVOLUÇÃO FUNDADORA(CONCEITOS)









Constituição:
Documento legislativo que contém os princípios geais e as normas jurídicas fundamentais de um Estado, emanadas de uma assembleia eleita ou constituída para o efeito. A constituição de um Estado define a sua forma política e os direitos e deveres essenciais dos seus cidadãos. 

Revolução Liberal:
Conjunto de movimentações político-militares que, entre o último quartel do século XVII e meados do século XIX, derrubaram o absolutismo monárquico e implantam o liberalismo, assente na igualdade dos direitos individuais, na soberania nacional e no principio da separação dos poderes politicos.

Modulo 5, O liberalismo-ideologia e revolução, modelos e práticas nos séculos XVIII e XIX., Unidade 1- A revolução Americana: uma revolução fundadora




A REVOLUÇÃO AMERICANA:
UMA REVOLUÇÃO FUNDADORA





Unidade 1, população da Europa nos séculos XVII e XVIII: crises e crescimento:


12.10.2013

CONCEITOS: MÓDULO 4:UNIDADE 4: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE EUROPEIA

UNIDADE 4: CONSTRUÇÃO DA MODERNIDADE EUROPEIA

ILUMINISMO: Corrente filosófica que se desenvolveu na Europa do século XVIII e que caracterizou pela crítica à autoridade política e religiosa, pela afirmação da liberdade e pela confiança da Razão e no progresso da ciência, como meios de atingir a felicidade humana.
Originárias da Inglaterra (Enlightenment) e da Holanda, as “Luzes” fizeram da França o seu principal centro e, especialmente de Paris, irradiaram para a Europa e para o Mundo.

CONCEITOS: MÓDULO 4: UNIDADE 3: TRIUNFO DOS ESTADOS E DINÂMICAS ECONÓMICAS NOS SÉCULOS XVII E XVIII

UNIDADE 3: TRIUNFO DOS ESTADOS E DINÂMICAS ECONÓMICAS NOS SÉCULOS XVII E XVIII


 MERCANTILISMO: Teoria económica enunciada nos séculos XVI,XVII e XVIII, que defende uma forte intervenção do Estado na economia. O objetivo dessa intervenção era o aumento da riqueza nacional, identificada com a quantidade de metais preciosos acumulados pelo país. São características do mercantilismo as medidas de tipo protecionista e monopolista. O termo mercantilismo designa, igualmente, as políticas económicas que, de acordo com esta teoria, foram implementadas em grande parte dos países europeus no século XVII e na primeira metade do século XVIII.


 BALANÇA COMERCIAL: Termo que designa a relação entre o montante das importações e das exportações. Caso o volume das exportações ultrapasse o das importações, a balança comercial é positiva, o que se identifica com a prosperidade do país.


 PROTECCIONISMO: Política económica que impede a livre circulação de mercadorias. O protecionismo traduz-se, geralmente, por um aumento dos direitos alfandegários sobre as importações. O objetivo desta medida é permitir o desenvolvimento das produções internas que, desta forma, se tornam mais competitivas.


 MANUFACTURA: Num sentido lato, o termo designa as diferentes atividades industriais que não empregam maquinaria e que, por isso, são características das épocas pré-industriais. Em sentido restrito, aplica-se às grandes unidades transformadoras típicas dos séculos XVII e XVIII que, para além da concentração de trabalhadores, recorriam já à divisão do trabalho e ao uso de tecnologia própria (mas não de maquinaria).


 COMPANHIA MONOPOLISTA: Associação económica geralmente de cariz comercial, à qual o Estado conferia direitos exclusivos sobre determinado produto ou área de comércio. No século XVII organizaram-se numerosas companhias monopolistas, na sua maior parte destinadas ao comércio colonial. As mais poderosas foram as Companhias das Índias Orientais, as quais os estados (Holanda, Inglaterra, França) conferiam poderes de justiça, administração e defesa no Oriente. Estas companhias representavam os respectivos países, negociando tratados e conquistando territórios, pelo que, para além dos direitos de comércio, detinham um grande poderio territorial e militar.


CAPITALISMO COMERCIAL: Sistema económico caracterizado pela procura do maior lucro, pelo espírito de concorrência e pelo papel determinante do capital como motor do desenvolvimento económico. Característico da Idade Moderna (séculos XV a XVIII), o capitalismo comercial tem no grande comércio (e não na indústria) o seu setor mais lucrativo. Os capitais aí acumulados fizeram desenvolver as primeiras formas de capitalismo financeiro, materializado nas atividades bancário e bolsista.


Exclusivo Comercial: Forma de exploração económica que reserva para a metrópole os recursos e o mercado das colónias. Trata-se de uma medida protecionista cujo objetivo é garantir a obtenção de matérias-primas e produtos exóticos a baixos preços, bem como escoar as produções manufacturadas do país dominador.




MERCADO NACIONAL: Diz-se da capacidade aquisitiva da procura interna que, no caso da Inglaterra, no século XVIII, foi favorecida por:-revolução demográfica;- abolição dos entraves à circulação de produtos;- incrementos dos transportes;- crescimento urbano.




COMÉRCIO TRIANGULAR: Circuito de comércio atlântico que ligava os continentes europeu, africano e americano. Este comércio, que prosperou sobretudo nos séculos XVII e XVIII, era suportado pelas necessidades de mão-de-obra das colónias americanas que dependiam dos contingentes negros para as suas plantações e explorações mineiras.




TRÁFICO NEGREIRO: Intenso comércio de escravos negros que canalizou para a América grande número de africanos, na sua maioria comprados ou aprisionados nas costas da Guiné, de Angola e de Moçambique. Os escravos eram transportados em grandes navios negreiros, nas mais desumanas condições, pelo que uma parte significativa sucumbia durante a viagem.




BOLSA DE VALORES: Instituição financeira em que se transacionam bens mobiliários, como fundos do Estado, ações e obrigações.


 REVOLUÇÃO INDUSTRIAL:  Em sentido estrito, é um conjunto de transformações técnicas e económicas que se iniciaram na Inglaterra na segunda metade do século XVIII e se alargaram a quase todos os países da Europa e da América do Norte no decorrer do século XIX.
Considera-se, geralmente, que foi a invenção da máquina a vapor e sua subsequente aplicação aos transportes e à indústria que provocaram a rápida mudança nos modos de produção (da manufactura passou-se à maquinofatura).
Em sentido lato, a revolução industrial significa o conjunto de modificações estruturais profundas que se estabeleceram na economia, na sociedade e na mentalidade do mundo ocidental, no período atrás referido.




BANDEIRANTE: Indivíduo participante numa bandeira, termo pelo qual, a partir do século XVIII, ficaram conhecidas as expedições armadas que percorriam o interior do Brasil em busca de ouro ev escravos. As bandeiras prolongaram-se do século XVI ao século XVIII., tendo como centro São Paulo, pelo que os bandeirantes são também conhecidos como “paulistas “ ou “gentes de São Paulo”.
A ação dos bandeirantes foi também da maior importância para o conhecimento do território e para a fixação das fronteiras do Brasil.

MÓDULO 4: A EUROPA NOS SÉCULOS XVII E XVIII-SOCIEDADE, PODER E DINÂMICAS COLONIAIS

UNIDADE 2: A EUROPA DOS ESTADOS ABSOLUTOS E A EUROPA DOS PARLAMENTOS

ANTIGO REGIMEÉpoca da História europeia compreendida entre o Renascimento e as grandes revoluções liberais que corresponde, grosso modo, à Idade Moderna. Socialmente, o Antigo Regime caracteriza-se por uma estrutura fortemente hierarquizada (em ordens), politicamente, corresponde ás monarquias absolutas e, economicamente, (mercantilismo) ao desenvolvimento do capitalismo comercial.

ESTRATIFICAÇÃO SOCIALDivisão da sociedade em grupos hierarquicamente organizados, consoante o seu prestígio, poder ou riqueza.

ORDEM/ESTADO:  Categoria social que goza de um grau determinado de dignidade e prestígio, correspondente à importância da função social que desempenha. A ordem (ao contrário da classe social) assenta mais no nascimento que na riqueza, perpetuando-se por via hereditária e admitindo uma mobilidade social reduzida. Uma das ordens do Antigo Regime, o clero, foge, pelo celibato imposto aos seus membros, à transmissão hereditária, mas reflete, na sua hierarquia interna, a diversidade social das duas outras ordens. MOBILIDADE SOCIAL:- Transição dos indivíduos de um para outro estrato social, quer em sentido ascendente, quer em sentido descendente. Numa sociedade de ordens esta mobilidade é sempre reduzida, uma vez que o critério de diferenciação social assenta no nascimento. Porém, no Antigo Regime, o desenvolvimento do capitalismo comercial conduziu à ascensão da burguesia, que viu reforçadas tanto a sua valia económica como a sua dignidade social. Este processo culminará com o embate das revoluções liberais que destruirão a sociedade de ordens, instaurando o atual modelo de organização social em classes. 
MONARQUIA ABSOLUTA:  Sistema de governo que se afirmou na Europa, no decurso do Antigo Regime. Concentra no soberano, que se considera mandatado por Deus, a totalidade dos poderes do Estado.

SOCIEDADE DE CORTE: Grupo de pessoas que rodeia o rei e participa na vida da corte. Trata-se de um conjunto razoavelmente vasto e organizado que partilha os mesmos valores e o mesmo padrão de vida. A sociedade de corte atingiu o seu período áureo nos séculos XVII e XVIII, assumindo então um lugar central no conjunto da sociedade.

PARLAMENTO:  Assembleia política à qual cabem, em regra, funções legislativas. Este tipo de órgão apresenta outras designações como, assembleia, cortes ou congresso. O atual Parlamento inglês é o parlamento mais antigo, tendo servido de modelo a muitos outros. As suas origens remontam à Magna Carta (1215), encontrando-se desde o tempo de Eduardo III (século XIV) dividido em duas câmaras, que evidenciam a distinção entre a nobreza e o povo: a Câmara dos Comuns que, nos séculos XVII e XVIII, era eleita por sufrágio censitário, e a Câmara dos Lordes, nomeada pelo rei.

CONCEITOS: MÓDULO 4: UNIDADE 1-POPULAÇÃO DA EUROPA NOS SÉCULOS XVII E XVIII: CRISES E CRESCIMENTO

MÓDULO 4: A EUROPA NOS SÉCULOS XVII E XVIII-SOCIEDADE, PODER E DINÂMICAS COLONIAIS
UNIDADE 1: POPULAÇÃO DA EUROPA NOS SÉCULOS XVII E XVIII: CRISES E CRESCIMENTO


ECONOMIA PRÉ-INDUSTRIAL- Sistema económico que se caracteriza essencialmente pela base agrícola e pela debilidade tecnológica. O volume de produção encontra-se, por isso, estreitamente ligado ao número de homens, estando a expansão demográfica limitada pela insuficiência dos recursos alimentares, Assim, as fases de crescimento e recessão económicas coincidem, em geral, com os fluxos e reflexos populacionais.




CRISE DEMOGRÁFICA- Quebra demográfica brusca provocada por uma elevação violenta da taxa de mortalidade, acompanhada do recuo da taxa de natalidade. A crise demográfica é geralmente de curta duração (alguns meses) e devido a surtos de fome (crises de subsistência) e/ou epidemias.

2.02.2012

Reino :


Estado ou nação cujo chefe politico é um rei. Na época medieval, os reinos eram unidades territoriais sob a chefia de um rei, que agregavam pequenas unidades regionais.

Senhorio



Circunscrição jurídica, fiscal e administrativa na qual um senhor, nobre ou eclesiastico, exerce o poder banal sobre todos os homens (livres ou servos ) aí residentes.

11.02.2011

Conceitos Módulo 1 - Unidade 3

Igreja-Romano Cristã: Termo que designa o Cristianismo e suas hierarquias sacerdotais, após a sua ascensão a igreja oficial do Estado Imperial Romano;

Civilização: Conjunto de instituições, técnicas, saberes, costumes, crenças,... que caracterizam uma sociedade ou um grupo de sociedades determinadas;

Época Clássica: Período de Antiguidade que corresponde aos séculos de nascimento e desenvolvimento das civilizações grega e romana. Cronologicamente, estende-se do inicio do 1º milénio a.C até 476 a.C, data da queda do Imperio Romano do Ocidente;